sexta-feira, fevereiro 29, 2008

Com a Formação…NÃO



«MANIFESTO FENIX»

Treinadores deste País
.
Todos os treinadores, que tenham ou tiveram campeões ou vice campeões nacionais ou classificados até à 5ª posição do «rank FPT individual» nos escalões juvenis, campeões ou vice campeões nacionais nos outros escalões, serão isentos de pagamento de inscrição em cursos/FPT
.
Negócio puro e duro com a formação Não

3ª feira: Aquém das expectativas

quinta-feira, fevereiro 28, 2008

Apenas 3 minutos...

...é o tempo que gastará a ler...muitos menos que os 30 anos que levo a aprender
.

Preferia não ter de falar nas "coisas" nem dizer que «quando alguém elogia tanto é para desconfiar», ou que já nada me surpreende com o que vejo ou sabendo do que se passa nos campos deste país à beira dum ataque de nervos
.
Mas quando um pai, não sei o nome credo ou cor política, uma semana depois do PNDT andar no Monte da Aventino, pergunta:
.
Você é que é o tal do blog portugalténis?
.
E de seguida o amigo com quem estivera a jogar faz-me esta pergunta com ar incrédulo:
.
«Como é que se detectam talentos com 3 direitas 3 esquerdas, 3 voleis para cada lado, 3 smash 3 serviços em 3 minutos com 30 crianças num campo?
.
Não respondi nem faço a mínima ideia!
.
Mas faço um esforço para perceber o que ia na cabeça de uma mãe sobre aquilo tudo quando deixou escapar o desabafo: Isto não é nada…
O pior, e sem que os treinadores destas crianças tenham culpa, a senhora até tem razão, a razão que lhe assiste como mãe, que gasta 3 horas do seu sábado, pensando que o filho…
.
1…talvez fosse metido numa máquina especial daquelas que tiram TAC
2…faria uma série de testes, passando pelo Compromisso de Bruce
3…seria observado por adultos de bata branca e estetoscópio
4…que o seu menino, cheio de fios/tubos tremendo como varas verdes, iria ao tapete rolante medir a sua capacidade funcional
5…a seguir subiria até ao especialista em biomecânica para calcular o ângulo de alcance máximo de um tiro para a mesma carga explosiva (já agora são 45º, estuda-se em balística) numa modalidade que face a tanta ciência que é apregoada por aí, vai ser jogada "talvez" sem ressalto, sem bola e sem jeito.
6…por fim deitar-se-ia na marquesa aguardando o doutor em psicologia que lhe faria uma série interminável de perguntas incompreensíveis para a criança
.
Aquele menino que só pretende jogar ténis se possível bem…depois de todo o esforço análises e testes, todos os iluminados terem chegado à conclusão que o "baby aos 8 anos" já demonstrara que atacava melhor a rede que Gerulaitis, batia direita/esquerda a duas mãos de meter inveja ao Gene Mayer, forçado ao revés cortado supera Rosewall, e por muito que treinasse nunca Stan Smith "jamais" faria um smash de revés com salto melhor que o «Tuguinha talentoso» …era o protótipo sucessor de…
.
Infelizmente o ténis não é gratuito, e perguntei:
Acaso tem dinheiro para investir na carreira do filhote?; se tem compre-lhe um "GRIP"… pois o que tem na raquete está gasto.
.
Há muito que equacionei «forma séria e legal» de promover o apoio aos verdadeiros talentos declarados; vou a substituir o PNDT (Plano Nacional de Detecção de Talentos) pelo (PRAC) Programa Real de Apoio à Competição, na via do profissionalismo…porque sou dos que conhece o sabor amargo das lágrimas derramadas perante a injustiça, e dos que sabem distinguir pela memória os talentos perdidos no Portugal dos pequeninos.
.
.
Terça-feira : Aquém das expectativas

quarta-feira, fevereiro 27, 2008

Gente nervosa


Tem chegado ao meu conhecimento que "começa a haver gente nervosa com a tua decisão de candidato…"
.
É natural porque de facto o conhecimento que eu tenho do ténis e da realidade do país é infinitamente superior a candidatos do passado, e por isso também a sabedoria para mudar é outra.
Mas quero dizer aos treinadores e árbitros deste país que tenho projecto claro para eles e que passa pela dignificação da carreira
.
Não vou suspender cadernetas anular cursos etc... Dêem-se ao benefício de serem equilibrados e pelo menos medianamente inteligente; pensem que eu também o sou .
Muita coisa é para mudar de facto e uma delas é o Departamento de Formação : vou extingui-lo, porque pretendo criar um novo corpo um novo rosto e uma nova alma na Federação
E para os que me acusam ou que tenham dúvidas, basta ler com isenção o que a seguir transcrevo;
Partes do estatuto da carreira de treinadores
( contém novidades que pretendo discutir com a SED)

2- Titulo

b) Os treinadores com formação extra federação, deverão requerer a sua equivalência, que será objecto de análise por parte da Divisão de Formação

d) A Divisão de Formação é constituída pelo DTN, por 1 Acessor, 1 membro indigitado pela Associação de Treinadores
.
5- Equivalências
Os detentores dos actuais cursos terão equivalência automática aos níveis propostos, desde que tenham tirado os cursos na FPT
5.1- O nível 1 adquirido antes da aprovação da presente regulamentação, tem equivalência ao Nível 1, sub nível A
5.2- Os titulares do nível 1 que cumpram o estipulado específico de ranking, ficarão creditados com o "sub nível Pro", isentos do estágio de 6 meses
5.3- O nível 2 adquirido antes da aprovação da presente regulamentação dará equivalência automática ao "nível 2 C "
5.4- Os restantes níveis terão equivalência automática.
...
Durante muitos anos houve a quem interessasse passar de mim uma imagem distorcida, e confundir brutalidade e mau carácter, com posturas dum homem treinado para lutar pelos ideais, com toda intensidade que a sua personalidade obriga.
.
Não haverá "por aí " um medo infundado?
Alguns terão razão para preocupações, porque sentem o fim dos privilégios...imerecidos
..
.

terça-feira, fevereiro 26, 2008

segunda-feira, fevereiro 25, 2008

Tratamento de choque


Quando a Itália perdeu contra a Suécia em Baadstad, na Copa Davis, não houve outro remédio que concluir que não se tratara apenas de uma derrota; Era chegada a hora de registar a definitiva queda do ténis Italiano. Somente ao restar na ribalta Pietrangeli, pode-se concluir que nos 12 anos de apogeu do ténis Italiano, os dirigentes não se preocuparam em aproveitar os resultados para formar os campeões do futuro e que haviam de substituir, (Gianni Cucelli, Rolando e Marcelo De Bello vencedores da Copa Davis, zona europeia em 1952 1955 e 1961) …e o ténis transalpino afundava-se precisamente quando atingia o seu esplendor…naquele momento em que Gardini venceu Schmidt a vitória sabia ao amargo da derrota da equipa; naquele instante Fausto teve a visão clara que se iniciava em Baadstad a Quaresma do ténis Italiano, que apesar de todo o esforço dos jogadores dura até hoje (1980)
Parece que os italianos estão bem melhor que nós, porque eles ainda estarão na Quaresma; por cá já se vai preparando a cova ao defunto

.
Ao ler atentamente a entrevista do seleccionador Pedro Cordeiro no Jornal do Ténis de 15/Fevereiro não podia deixar de me lembrar do lamento deste grande jogador, Fausto Gardini; numa leitura superficial, fica-se com a sensação que haverá tratamento de choque
Só que "Choque" é coisa que não acredito que aconteça já…
.
Preocupante o que se entrelinha, muito mais quando Frederica Piedade deixa cair a cortina do segredo e dá a entender (que há quem se cale consentindo), e as selecções femininas eram uma espécie de viagens a SPA’s no Pacífico.
É necessário limpeza, devendo em primeira instância ocorrer no terreno e ninguém dirá que "conta com a Michelle" sem sequer ter falado com a jogadora; O "clima actual" deve mudar, não se aceitará situações semelhantes às que aconteceram um pouco por todo o lado e ao longo dos anos; «Mudança» será palavra na ordem do dia, custe uma ou duas temporadas de tratamento
.
Uma atleta chegar já tocada é justificação que não se pode aceitar; inadmissível continuar a saga das Selecções mediocrizadas que têm custado milhões ao País, sem resultados dignos de relevo nos últimos anos onde seleccionadores e capitães de equipas…

.
- Intimidavam atletas para excluírem uns e "levarem" quem interessava que integrasse certos centros
-Desconvocavam "convocados" para que os/as queridos pudessem ser beneficiados
- "Promoviam transferências" dos atletas dos outros
- Não se davam ao trabalho de assistir a encontros em Europeus
- Desmaiavam no calor da luta
-Denegriam atletas em plena representação nacional
- Governassem a vidinha deixando o País à beira da liga dos últimos
- "Levassem" 4 quando só eram precisos 3
-Vexassem o País com uma derrota por falta de comparência
-Convocavam "amigos lesionados" para que pudessem «receber o prémio de seguro por acidente ao serviço da pátria»
.
Quem não está a 100% fica em casa
A tratar-se
Mais importante é…a saúde
.
Pretendo (como todos) selecções coesas, não aceitando que certo tipo de atitude esconda "comportamentos desviantes" percebidos nas entrelinhas da entrevista sejam o perfil dos/das futuros atletas que"eventualmente sejam candidatos" a representar o país.
Nas selecções ninguém tem lugar cativo, porque

1) Ninguém é mais importante que Portugal
2) Ninguém manda o País às urtigas e a seguir vai gozar os sóis do Algarve
3) Não cumpre, não recebe; "no play no money"
.
O ténis conta com Pedro Cordeiro a quem pede temporariamente algum risco nas funções que desempenha, mesmo sabendo das pressões a que está sujeito, na intransigência e competência que profissionalmente lhe é exigida, nem que constitua selecções com alunas Universitárias, a tirarem Mestrado/doutoramento, jogadoras de futebol, veteranas ou treinadoras em Vila Real.
.
E nem pensar em "black mail"; podemos não ter resultados imediatos, mas essa falta corrige-se com trabalho e com os talentos que irão surgir ou com os talentos do passado
Temos que renovar mentalidades, e apostar convictamente que é possível colocar a fasquia no rank 32 ATP/WTA, para podermos garantir sucessos na Fed, Davis Cup, Olimpíadas e Europeus Juvenis.

.
Teremos 1 ciclo Olímpico no «DAY AFTER»
Devíamos ter começado «YESTERDAY»

.A 2009 os seleccionadores tudo farão para apresentar os seus relatórios "minuciosamente precisos" ...e ..."tecnicamente imaculados" e cada selecção será montra para a dignidade dos jogadores, mudando-se rosto e gosto da federação
. .
Não se tocará a Marcha Fúnebre fora da Quaresma
.
Não se comprará "SALDO" a preço de "ALTA-COSTURA".

sexta-feira, fevereiro 22, 2008

Tanjerina…

Neste caso não é una fruta mas uma falta de respeito
O senhor presidente da Federação (e direcção), lembrar-se-ão certamente deste termo, utilizado pelo senhor Paes de Faria referindo-se ao senhor Alfredo Laranjinha, ao acusar de incompetente e má-fé a equipa de técnicos da federação responsável no Campeonato Nacional sub 16 de 2006, constante de um e-mail que envolvia o Tennis Club da Figueira da Foz, e a caixa de correio do senhor José Guardado
.
Espera-se que tenham dado conhecimento aos senhores Alfredo Laranjinha e Jorge Cardoso que foram acusados de INCOMPETÊNCIA e MÁ-FÉ, nem que não fosse apenas para saberem o que deles pensa o senhor A.J. P. Faria, presidente da ATPorto
.
Pensamos "todos" que a FPT não paga ordenados a pessoas Incompetentes e que actuam de Má-fé muito menos com verbas que vêem do Estado, e pelo que conheço das pessoas «ofendidas», esse tipo de atributos não se lhes referencia; É inadmissível, quadros da FPT serem acusados de Má-fé e Incompetência, e nada se fazer, digno de registo; como presidente da FPT, daria a devida resposta
AG são reuniões de associações, se acaso estas se AMNESIAREM face à decisão 15/12/07, e neste Fevereiro não se passar nada, aguardo que o senhor, eng. Corrêa de Sampaio, ainda o presidente, e espero a partir de 2009 meu antecessor, promova a reunião do «caso das licenças Lousada Ténis Atlântico» e que publicite as medidas duras e punitivas
A anterior direcção estava a arrumar a casa, deixem-na pelo menos como a encontraram, que o resto da arrumação ficará ao meu cuidado
.
Ex. Sr. J. Guardado

V Exª deve ter ficado atónito com o conteúdo do artigo anterior
Entendi ser hora de V Exª de o colocar ao corrente por onde viaja o seu correio electrónico, e quem sabe de outras pessoas ou mesmo clubes da área de Coimbra, eis a explicação:
.
O senhor Dino Almeida remeteu para o Sr. Paes Faria, o e-mail que foi enviado da caixa de correio de V. Ex.ª para a caixa de correio da atcoimbra a 24 de Agosto de 2006, e que o dirigente do Porto, na volta do correio, tece desagradáveis comentários em relação a muitas pessoas, ao clube da Figueira da Foz e aos próprios atletas que motivaram a reclamação constante no e-mail
.
A Federação Portuguesa de Ténis .
Instituto do Desporto de Portugal
A (PJ) Polícia Judiciária
O (DIAP) Departamento de Investigação e Acção Penal) do Porto…
Todos têm conhecimento do conteúdo de certo e-mail mas...
Poucos sabem da AMEAÇA feita ao senhor Dino Almeida pelo senhor Faria
.
A.T. Coimbra é a sua Associação
.
Sr. Dino Almeida o Presidente Associativo
.
Senhor José Guardado... a decisão é sua
.

quinta-feira, fevereiro 21, 2008


Às vezes vale a pena correr riscos

quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Conti…ainda no seguimento do artigo anterior…


...Foi pelas "Competências perdidas" que coloquei em causa o Departamento de Formação; entendo que devemos ser consideradas pelo que valemos e demonstramos ao longo da vida como homens e como profissionais
.
A Federação, e este Departamento de Formação em particular, desconsiderou por esquecimento intencional, pois nenhum esquecimento casual se prolonga pelos tempos, as pessoas que referi na intervenção anterior, e sobre a qual justifico de seguida a razão de parte do conteúdo, porque dos Doutorados e Mestrados com formação e prática da modalidade, já disse quase tudo.
.
Porque quanto aos treinadores que estiveram na acção de "Formação de Formadores" ministrada pelos técnicos da «Escuela Nacional Maestria de Tenis/ /Real Federacion Española de Ténis», (a mesma equipa que formou os técnicos que deram alegrias aos espanhóis, e que de uma forma sincera e aberta tudo fizeram para que os portugueses saíssem com formação ao nível dos seus compatriotas), para além do risco que acarreta a profissão, tiveram todos, até ao início da acção, praticamente um percurso semelhante ao que se apresenta de seguida e que deviam merecer um pouco mais de respeito.

Formação como jogadores de ténis (formados e treinados por treinadores/técnicos reconhecidos)
Competição durante anos como jogadores (em torneios, campeonatos regionais e nacionais)
Currículo como treinadores (de atletas com resultados)
Presidentes de Conselhos Técnicos (de Ars e Federação)
Fundadores e dirigentes de Clubes (reconhecidos)
Directores técnicos de clubes (com resultados)
Prelectores em Simpósio e da propria federação
Mais de 200 horas de cursos portugueses níveis 1,2,3 que englobaram as disciplinas:
História, Gestão e Organização, Arbitragem, Biologia, Psicologia, Traumatologia, Pedagogia, Didáctica, Técnica, Táctica , Metodologia do treino-(Geral e Específico) ,
Exames práticos e escritos (em todos os cursos)
Reciclagens dos níveis 1 2 (pelo menos), 10.000 horas de exercício da função de treinador
(Tempo de trabalho em clubes até à conclusão do nível 3; 8 anos desde o início oficial da carreira alguns com 30.000 horas de trabalho e mais de 20 anos de profissionalismo) , participação em Simpósios Nacionais e Internacionais (para obtenção de conhecimentos não de créditos e que alguns foram também prlelectores )

Acções de formação diversas (com vários técnicos estrangeiros incluindo especialista em ténis feminino) para...
.
Participar numa acção de Formadores de Formadores, (ministrar cursos de treinadores para formar treinadores e não atiradores de conhecimentos), em que tiveram que ...
Estudar 1300 Páginas de Matéria Descritiva/Fotos/Esquemas/Cálculos/Testes/ somadas aos 15 Dias de aulas Prático/teóricas intensivamente com debates noite dentro (tudo em castelhano), num total aproximado de 120 horas programadas com prática de campo de alto grau de exigência Técnica Física e Mental, para um conteúdo de matérias tão específicas como:
.
Nível
Monitor
Organização Planificação e Programação de Escolas de Ténis
(Sociologia/metodologia/táctica/método de mestria/ fundamentos técnicos/ equipamento e regulamentação)
..
Nível
Treinador e Professor
Sistemas de treino/Método Maestria;
(Táctica/Técnica/Metodologia/Biomecânica)
Prática de Jogo e Análise em competição
Ténis de cadeira de Rodas
Debates e entrega de trabalhos
..
Todo este esforço e dedicação, por parte de pessoas (que pagaram hotel alimentação transportes, despenderam o seu tempo e tempo quem sabe se sacrificando a família) a quem a FPT nem sequer teve a amabilidade de explicar, porque razão afinal, aquilo valeu zero.
.
O País não se pode dar ao luxo de prescindir de "Competências demonstradas"
A estes homens terá de ser feito justiça e o reconhecimento público
.
Esta foi mais uma das razões que me levaram a ponderar que era a hora do ténis ser entregue a Homens do Ténis, e impedir que pessoas que nem cursos de treinadores têm, venham exigir aos técnicos com o nível 2 ou 3 reciclagens; ser treinador não é ter um conjunto de conhecimentos desgarrados; é saber exercer essa função, e para isso é necessário que se ensine os técnicos a serem de facto treinadores, e os actuais membros do departamento de formação não têm suficiente "competências"para tal.

Injustiças, ameaças de suspender a carteira profissional, ou situações nebulosas, devem ser objecto de correcção, e perante este quadro inadmissível de certo «au suivant», para mudar a face do ténis mais uma vez reitero disponibilidade e determinação de avançar para a Presidência da Federação.

6ª feira Tanjerinas

segunda-feira, fevereiro 18, 2008

CALMA...ainda não é o TANGERINAS


Primeiro presto a minha Homenagem a um grande senhor do témis português, um grande Homem , Campeão, e Formador: Alfredo Vaz Pinto; se ainda se recordar do Adolfo, quero publicamente dizer: que falta me faz, e faz ao ténis. Etermamente Grato por me ter ensinado a ser Treinador


Curso de Nivel quê? Na Maia! Com estrangeiros?
20 anos depois da última vez que cá esteve Richard Schonborn.? (obrigado por tudo o que me ensinou no curso de Nível 3/ thanks)..
Depois de tudo o que alguns técnicos passaram para se formarem, ainda é necessário importar?
Claro que é mais seguro...
.
Afinal os que lá estão no D.F não têm Competências para exercer certas funcões.


...Os senhores Mestrados e Dutorados, João Carvalho (por onde anda?), Rui Ornelas (olá amigão) Cupido Santos da Universidade de Coimbra (cara, o meu amigo fazia sombra, doutorado em Inglaterra e prof, numa Universidade Estatal) , José Sustelo (azar..um beijo aos miúdos e mamã), só para citar alguns, não têm COMPETÊNCIAS para dar formação a treinadores já com o Nível 2 tirado (o que não se sabe se...)
E os meus amigos, Nuno Ralheta, Pedro C Macedo" Peu", António Reis, Alfredo Laranjinha, (desculpem os outros) que gramaram 2 semanas dia e noite, com técnicos da Escuela Maestria (Federação Espanhola) que vieram propositadamente formar "Gente" para serem formadores de treinadores portugueses que falam e escrevem português, que custou uma pipa de massa à Federação e aos participantes, não servem para nada?
Fico com a sensação que o Director do Departamento de Formação não quer Portugueses com Competências e Competentes por perto, já que os nomes indicados são treinadores com provas dadas na vida académica e na profissional, mas acima de tudo, sabem de Ténis e Jogam Ténis.
.
Será que o senhor Maio fez as reciclagens de níel 2 e 3?
É que até hoje sabemos que foi dada a equivalência ao nível 3 (terá sido (?) para justificar a sua estada no Centro Nacional de Treino que tão bem orientou e com resultados inquestionáveis) mas não sabemos qual a sua formação de facto... Que fique bem esclarecido que nada de pessoal me move contra este técnico, mas não sou eu que aprova ou dita as leis..
.
Também não me estou a fazer ao lugar de Director do Departamento de Formação nem de DTN.
Na verdade quero ser Presidente da FPT em que, sendo eleito, as 1ªs medidas que tomarei são:
.
a) Contratar (se disponível) o señor António Arrans para Dirigir o Dep de Formação / tb tenho alternativa
b) Contratar (se disponível) o Juan Carlos Andrade para DTN/ tb tenho alternativa
c) Depois convidava os senhores que acima considerei competentes para apoiarem o desenvolvimento do Ténis em Portugal
d) A seguir limpava o Edifício Federativo (Clues/Ars) pondo ordem na casa
e)Convidava alguém «com eles no sítio» para ir aos poucos entrando no domínio destas coisas do Dirigismo de Ténis e preparar a sucessão.
Por fim pedia a demissão...
.
Nota: bpost corrigido
Desculpa o engano Peu

domingo, fevereiro 17, 2008

Casting PNDT


Antes de publicar o artigo Tangerina…uma achega ao Casting PNDT que durante este Sábado a FPT teve a triste ideia de levar para o complexo Municipal do Aventino, convocando através do fax ATPorto os atletas dos clubes desta Região; (desconheço qual o meio utilizado em relação a A.T de Vila Real)
.
“Triste” porque por azar às vezes ando por lá a ajudar os que não querem ser talentos mas simplesmente jogarem no futuro e para o resto das suas vidas Ténis com alguma qualidade.
.
Sobre este tipo de programa já emiti opinião, só que ao fim de 2 anos não se sabe onde meteram ou que fizeram com os talentos detectados!
Mas…desta vez tive a oportunidade de ver e ouvir, “com os sentidos que Deus me deu”!
Pior do que pensava;
.
Primeiro porque detecção de talentos o que por lá se passou não é de certeza: quando muito andam a mensurar Capacidades e Habilidade e utilizando baterias e esquemas que servem para o trabalho do dia a dia dos treinadores/professores
.
Observando desapaixonadamente, fica-se com a sensação que os técnicos que vi por lá são uma espécie de FISCAIS que andam a analisar o trabalho dos outros; mesmo assim nem sequer o sabem fazer.
E se não bastasse entra campo dentro a seleccionadora Magda Leal a mandar bolas, como se aquilo que lá se passava fosse um Festival de Raquetada, onde qualquer um pode ir experimentar a arte de lançar bolas de 1 carrinho
.
Para piorar o ramalhete introduzem um esquema que foi apresentado no último simpósio em Espanha, esquema que nada te a ver com o propósito da acção, e que serve apenas e tão somente para testar ludicamente a potência do serviço do género medição da profundidade do golpe; Claro que para leigos e pais ingénuos deram um brilharete, só que, nem todos os pais são ingénuos e alguns até sabem de ténis mais que os próprios técnicos do programa: refiro-me ao esquema em que se colocam os “atletas” de costas com a raquete entre pernas para defender as “partes”; só que, quem idealizou isto nunca passou pela cabeça que um dia aplicassem isto com num programa dito “pndt em Portugal
.
Também não consegui perceber o que foi fazer o responsável do PNDT, que não apareceu de manhã quando estavam (os mais pequeninos) e que mais carecem do conhecimento superior do Coordenador Geral para apoiar a observação; apareceu tarde e de tarde.
De qualquer forma, Nuno Mota, agradeço o facto de ter vindo cumprimentar-me, mesmo depois de saber o que penso do «seu programa», demonstrando que é uma pessoa “politicamente esperta” e que não mistura o que não deve ser misturado; Não se medindo por aí as competências, mede-se pelo menos a educação.
.
Mais, alguns reparos:
1)- Não é assim que se colocam "as crianças" quando se pretende analisar o seu desempenho técnico/instrumental num voley, isto se alguém me conseguisse demonstrar que este golpe é importante para definir as capacidades de um (?) hipotético talento; não se deve «barreirar a acção» com a rede, meus senhores
2)-Uma bola na execução de um “smash” cai à velocidade de 9,8 m/s, «Vel» desaconselhável para “niños de 6/7 anos alguns deles ainda no limiar da 1ª infância, cuja capacidade sensorial, a percepção espaço/temporal, a resposta motora, não estão apropriados para este tipo de execuções sem “rebote”. Houve muitos que levaram aquilo que se chama um “carolo”; sorte não se tratar artes marciais, com …Adagas. Eles, os técnicos não têm culpa; devem ter sido formados pelo actual Departamento de Formação

Espera-se que ao menos expliquem aos treinadores das criancinhas que não foram considerados talentos, quais as Variáveis Limitativas (para a modalidade) da sua exclusão, e digam que a decisão não é definitiva, de preferência antes que “elas” mudem de desporto.
.
Se estes senhores do «Programa/Projecto/não sei bem como chamar», incluindo a própria direcção da FPT S-G e demais instrumentos ao serviço da modalidade, conhecessem “alguma coisa” dos factos que fazem a “história” talvez lhes viesse à memória o que aconteceu às gémeas Sanchez-Allyetto, com a Amanda Coertz, depois de um técnico “sem tino” dizer que ela ”nunca jogaria ténis”, ou vissem Jay Berger a servir, e que foi 10 in the world.
.
Foi o que me aconteceu no final de 5 horas de folclore a que assisti, ao ter a amarga sensação de estar num “cinematógrafo” revivendo um daqueles filmes «intemporais» da 2ª guerra mundial em que as criancinhas brincavam no recreio e de repente caía uma bomba… mesmo no prato de sopa.
Provavelmente o que irá acontecer aos que foram “eliminados” caso os pais não estejam atentos e não os informem que aquilo não passou de uma simples filmagem para uma Telenovela e que eles estavam lá no papel de Figurantes, daí a a quantidade de fotos tiradas; até Diplomas de presença se dão, possivelmente para adicionar ao currículo quando forem fazer o curso de treinadores de Nível 3.
Mas (muito mais pior) paupérrimo e elucidativo, tendo em conta que a maior parte das crianças eram oriundos de clubes da associação do Porto foi não se Detectar nas imediações nenhum dos directores.
Nem sequer se deram ao trabalho de aparecer, exactamente o contrário do que se espera de quem apregoa a bandeira do Mini-Cir. (não sei se estava alguém de Vila Real) o que é pena, pois deviam ter mandado alguém da (Universidade de Trás-os-Montes) para que eles pudessem dizer a esta gente: não brinquem com coisas sérias.
.
Como este tipo de programa só acaba quando não houver dinheiro ou entrar alguém para a FEDERAÇÃO que saiba alguma coisa de Dirigismo, preferencialmente de Ténis, que tal reflectirem sobre alguns “conceitos úteis” para não estragarem o que os treinadores andam a fazer, evitando que os sonhos das crianças se transformem em pesadelos

.
Cinco (5) pontos a reter
.
1º- As capacidades dependem de factores Genéticos e Vivenciais, o que me parece que não foi observado; perguntem ao menos se as crianças têm mais de um ano de prática regular que lhes permita vencer com alguma facilidade estados de ansiedade, número e treinos semanais, torneios participados, actividade física escolar e depois observem através de baterias dirigidas para os diferentes graus de desenvolvimento
2º- Uma Habilidade é um acto específico, um movimento pré determinado a um estímulo e aprendida através da prática, e estará sempre dependente de um conjunto de capacidades subjacentes; exactamente o que são os Golpes no ténis; os que estavam a analisar era precisamente o desenvolvimento de gestos técnico/motores em que alguns são irrelevantes para certas idades
3º- Uma Capacidade refere-se ao que se possa fazer num dado momento, e isso não determina talentos; já uma Habilidade pode ser desenvolvida através da prática, que é o mesmo que dizer “treino de repetições” de acordo com factores complementares e aí já se afiguram dados de desempenho que podem levar à focalização do pormenor de um desempenho talentoso; quando se pratica uma Habilidade por períodos prolongados passa-se de iniciante a executor hábil, o que não aporta em si o conceito de talento/vencedor, razão pelo que só é de excluir o talento depois de se analisar o seu desempenho na objectividade do jogo.
4º- Determinadas Habilidades dependem de capacidades musculares e do estágio de maturação, pelo que determinados tipos de execuções Técnicas não devem ser solicitadas, quando numa fase precoce se pretenda avaliar capacidades como por exemplo, Equilíbrio Dinâmico no ténis, que é o que se passa com o golpeio da linha de base.
5º- Ter presente que a Proficiência implica uma especialização e não generalização, e no ténis, o Talento observa-se de torneio em torneio ao longo da formação competitiva onde se contrabalança o modelo de jogador e o modelo base de jogo desenvolvido, e em que eventualmente a conclusão da observação deve ser alcançada antes de se atingir definitivamente a maioridade, ou seja antes de se esgotar o totalidade dom período destinado ao desenvolvimento das capacidades globais
.
Senhores da Federação, mesmo sabendo eu muito de nada e pouco de ténis, lamento, mas chamem um Assobio ao PNDT, porque o que assisti de Detecção de Talentos nada tem
Em vez de esbanjarem o dinheiro em brincadeira que tal pensarem em gastá-lo (em coisa) mais importante, tal como Desenvolvimento do Ténis em Cadeira de Rodas ou isentem de pagamento do valor da taxa da licença e renovação, às crianças até aos 10 anos, desde que sejam os ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO a assinar os papelinhos…

.

sexta-feira, fevereiro 15, 2008

Teniscídio???

Começo hoje por ter um leve esperança que por cá não rebente outro tipo de bomba…


A introdução…
A mentalidade científica é inevitavelmente evolucionista e a razão do ser humano não se confina à verdade lógica mas à ôntica quando se refere que não é a mesma coisa Saber que Experimentar. O subdesenvolvido é precisamente aquele que não tem o suficiente e por isso o seu ser aparece ao nível do infra-humano.(Manuel Sérgio)
…para além de um «souvenir de Manuel Sérgio», ilustra o meu pensamento sobre a qualidade do actual mundo federativo; não é que seja dado a citações mas esta é de tal forma elucidativa…
e ainda por cima feita por um senhor que foi considerado (por Gomes Tobino antigo SED do presidente Sarney, e responsável pela publicação de livros sobre Metodologia Científica do Treino Desportivo 1979, Decano do Centro de Ciências Humanas da Universidade Gama Filho, etc.) o "maior pensador vivo da E.F. contemporânea
…de certeza estes senhores sabem o que é o Split Step…e estávamos em 1994, ano em que os incompetentes ainda não tinham desembarcado no «porto federativo»

Ao insurgir-me contra a falta de qualidade do ténis português, reconhecido por muitos, não o faço pelo prazer do "bota-a-baixo", mas sim com a preocupação que tenho em ver e saber, e pela experiência de mais de 15 anos de actividade institucional, e outro tanto militando em clubes, quer como técnico, fundador ou dirigente, que de facto a coisa no ténis «tá preta»
Perdem a razão aqueles que acusam Adolfo de ser do contra; fazem-no os subdesenvolvidos, que não vêm para além da pequenez da sua ganância, que sobrevivem ao nível do infra humano, e no paraíso de centavos interesses
Somos um país que atacou o ténis por grosso, «com escória e gravilha»
Já não interessa que se não tenha experiência; chegámos ao ponto de entregar o futuro enquanto da modalidade a quem não tem sabedoria.
Mendiga-se resultados
Atribuem-se Óscares à mediocridade
Há quem tenha orgasmos tenisticos
Só falta filiar a FPT na RFET.
Chegou-se ao fim da linha, mas infelizmente há quem prefira erguer uma cubata com os escombros, do que tal como Fénix, renascer das cinzas construindo sobre elas um novo edifício desportivo/tenistico

Há quem diga que hoje se joga pior que se jogava "no seu tempo" e falamos de 25/30 anos atrás o que não é de admirar, ao analisarmos friamente o que são (hoje) a federação/associações/clubes.
Vemos entrar pela porta dentro gente que nem sequer sabe quantos pêlos tem uma bola; gente que nunca jogou ou de qualidade paupérrima.
Entregaram a formação a pessoas "sem historial ou "currículo" na modalidade.
Temos técnicos sem experiência e nalguns casos sem sabedoria, isto para não falar na fragilidade psicológica ou na falta de carácter que alguns têm demonstrado.
Seleccionadores que não podem acompanhar a selecção num Europeu porque têm que cumprir ordens do "patrão"
Outros que jogam em computadores (!), antes durante… e quem sabe se depois.
Desculpabilizam-se derrotas do País com as faltas de presença "de quem não esteve".
Não se cumprem regulamentos, branqueando-se resultados
Despenalizam-se acusações de actuações de Má-Fé.
A ver se cai no esquecimento, deixa-se escorrer () pelo rio lousadiano
Falsificam-se licenças? Não!
Começo a pensar que se pretende que seja o próprio ténis a cair no esquecimento…Já chagámos ao fim da linha, será que teremos em breve um, Teniscídio?

Próximo post
"Tanjerinas"

quinta-feira, fevereiro 14, 2008

S.Valentim

Para aqules que não amam só o dinheiro

quarta-feira, fevereiro 13, 2008

6th World Conference on Gifted and Talente Children

Já que não dá ouvidos...ouça ao menos 2 Pac senhor presidente da FPT

É verdade… o post anterior é claramente a denúncia da mediocridade de certos programas da FPT, que para além de já terem demonstrado ao longo de 2 anos que só serviram para alguns se orientarem, servem para desorientar na modalidade muita gente

.
Refiro-me «ao PNDT» e que fique claro que não tenho essa posição só porque sou do contra; tenho-a com base em 30 anos de experiência como treinador e como atleta que fui em diversas áreas e sobretudo pelo respeito que me merecem as pessoas que levam uma vida a estudar estes temas.


Uma delas é Eunice Soriano de Alencar, para além de muitas coisas na área da psicologia, foi Professora na Faculdade de Medicina e do Departamento de Psicologia da UFMG, Mestrada, Doutorada nos Estados Unidos, pela Purdue University e post-doctoral scholar no Gifted Education Resource Institute (EUA); de entre muitas coisas destaca-se um relatório apresentado no 6th World Conference on Gifted and Talente Children (GER/85)
No livro publicado pela EPU, Editora Pedagógica e Universitária Lda, sobre o tema Psicologia e Educação do Superdotado, retirei uma pequena “lembrança” para que se possa ter consciência do longo caminho a percorrer até sermos razoavelmente conhecedores do que quer que seja


Diz nas Páginas 23;24 e 27
Tradução

Pág 23/24: são consideradas crianças superdotadas e talentosas, as que apresentam um notável desempenho e/ou elevada potencialidade em (vários aspectos) isolados ou combinados.
Sobre a Capacidade Psicomotora, no conceito de Habilidades Motoras, englobam-se os estudantes que apresentam proezas atléticas, incluindo o uso superior de habilidades motoras refinadas, necessárias para determinadas tarefas, e habilidades mecânicas)
.
Para na Página 27 ponto 5 afirmar que qualquer que seja a área em que se insere a superdotação, esta distribui-se em “continuum” ou seja continuadamente, não havendo nenhum ponto específico que demarque os superdotados dos que não são.
Desta forma é inclusive possível que indivíduos considerados não superdotados passem para esta categoria, se os seus interesses forem suficientemente implementados
.
Não se trata de “talentosinhos”; argumenta-se ao mais alto nível de desempenho humano, considerando sempre a hipótese de…
.
Imaginem agora o quão frustrante deve ser para uma criança entre os 7 e os 10 anos, ver-se rejeitada num processo de escolha, e depois ir para o seu clube e treinar (quem sabe se não ganhar) aos que ,por mera ignorância de uns quantos, foram considerados como talentos
.
Claro que isto não se dá, porque os talentos vão trabalhar para os centros de treino que a federação promoveu, que estão preparados infra e estruturalmente para receber esses talentos
.
Todos temos conhecimento pela Imprensa dos grandes feitos dos talentos oriundos do PNDT,
tais como Michelle, Gastão, Almeida, Mª João, Patrícia, Kiko Ramos, para não falar da grande revelação no Vila do Conde Júnior, Trueva, passando pelo Frederico Silva, ¼ finais no Orange Bowll, Prazeres, Frederica, Nuno Marques, Cunha e Silva, Mota ou Couto, Gil Tavares, Boluda, etc…

.

segunda-feira, fevereiro 11, 2008

A música é outra

Senhor Presidente da Federação, defenda as nossas crianças de programas tipo «Extermino à Raquetada», ou numa versão mais soft, «Em busca de uma Floripaella em Skirt», do tipo casting para programas do Canal J’amor.

Não permita que um bando de «pardalecos» entrem num campo de ténis "e digam" a uma criança de 7 anos, tu não tens talento…
Não queira que os pais gastem dinheiro vivo em programas de recuperação para jovens traumatizados, porque um dia um demente qualquer os violentou psicologicamente.
Não permita que se reguem os campos do nosso país com as lágrimas de uma juventude traída.
Aos que dizem na calada da noite que o ténis cada vez está pior, e se calam de dia para continuar a "mamar" enquanto durar, corte-lhes a teta.
Assuma a responsabilidade de exigir honestidade a todos os que compõem o edifício federativo, ou batendo com a porta, entregue as chaves às Associações, e os dirigentes que paguem "os custos" do próprio bolso, porque há muitos que se têm governado à grande, no pantanal em que se vive esta modalidade.
Uma auditoria à «podridão consertada» dava para fazer teses de doutoramento em criminologia desportiva.

.
A que propósito vem este "post"?
Não acredita no que se passa nas selecções?
Não dá ouvidos ao que se murmura?
Não acede à Blogosfera?
Não lê jornais Isentos
?
nâo!
.
Pelo menos digite

domingo, fevereiro 10, 2008

Winter 08

Falar para quê?
Já tudo está dito
É mesmo uma Infernia o que vai por aqui...


..

sábado, fevereiro 09, 2008

Um modelo para os meus sonhos...

sexta-feira, fevereiro 08, 2008

Tempos...de boémia



Tu que posavas nua...e eu que que pintava a fome

terça-feira, fevereiro 05, 2008

Vergonha apadrinhada?!…


Com o Post de hoje pretendo relacionar a podridão humana com a servidão da ignorância e dar a conhecer a «náusea» sentida perante o que certas pessoas escrevem e o que outras aprovam.
Cita o relatório de actividades Associação do Ténis do Porto, aprovado em 2007 não vai assim há tanto tempo, que num passado recente (certamente referindo-se a 2005), foram as associações «que salvaram a Federação de uma Falência Vergonhosa…».
.
Com que dinheiro o fizeram?
Com as verbas que receberam do IDP através da FPT?
Os clubes ao aprovarem um relatório com este tipo de "escrita" estão a denegrir pessoas de bem, que deram provas que estavam no bom caminho, reconhecidos pelo actual presidente da Federação numa entrevista transcrita no folheto do Ténis Atlântico de Dezembro de 2007 e cujo responsável é o senhor (AJPF) presidente da ATPorto, igualmente responsável pela alusão feita à federação, e que dois ou 3 meses depois já se tinha esquecido da Calúnia transcrita no relatório?
.
Quanto a Falências…
Sei que há fraudulentas, técnicas, etc, mas Vergonhosas!...
Será que a anterior Direcção da FPT era composta por "gajos" sem vergonha?
Os senhores, Eng Valle Domingues o sacrificado Eduardo Plantier o brilhante jurista Dias Antunes entre outros, não eram pessoas de respeito?
.
Acaso roubaram?
Acaso desviaram?
Mentiram nos Relatórios e Contas da FPT?
Andaram a pagar despesas das empresas dos amigos?
.
Os senhores da associação nortenha denegriram pessoas de bem, das poucas que ainda vou respeitando no seio da modalidade, razão pelo qual não podia deixar de me indignar e insurgir contra este tipo de afirmações gratuitas, feitas a coberto de um Relatório, que mais parece um conto do vigário.
Terão medo que esses homens voltem à Federação e concluam o que estavam a fazer em relação às licenças da Maia? Ou será que agora já sabendo mais e de muito maior gravidade …vão «más allá»?
:
Senhores da Associação do Porto, presidentes de clubes dessa região:
Vergonha…é mendigar para matar a fome
Vergonha …é mentir num direito de resposta
Vergonha… é o que devem ter aqueles que roubam quem neles confia…
Vergonha… é o que não têm os dirigentes da ATPorto
.
Admitindo a mentira como verdade, há que pensar como chegou a Federação a uma hipotética falência, quando são as associações que aprovam Relatórios, Contas, Planos de Actividade e Orçamentos da "Fede" ano após ano! Será que ajudaram à dita falência para manietarem a direcção e poderem jogar as peças a seu belo prazer? … "A tal vergonha terá padrinhos"
Se acaso a Fede estava numa situação de pré-falência não se soube que alguma associação tenha alvitrado a hipótese de reduzir a sua % para evitar o escândalo.
.
Esqueceram-se uns quantos, daqueles que só têm memória quando se trata de insultar gente de bem, que «um conjunto de associações» pretendeu que o IDP auditasse a FPT, e ao serem avisados que, enquanto ela decorresse não se receberia a dotação do Estado com evidente suspensão das verba para as associações, recuaram na decisão.
.
Grandes dirigentes, grandes homens…que a troco de «vergonhosos euros», segundo próprio entendimento, pactuaram com situações ilegais/irregulares por parte da FPT!
Ou será que afinal não havia perigo de falência?
O IDP deixar falir uma federação sem intervir?
.
Claro que cada presidente/direcção de Associação/Clube pode escrever nos relatórios os disparates que quiserem. Nem os próprios clubes lêem, (como se pode atestar e só por exemplo), em referência uma ATPorto sem vergonha, onde as Contas nem sequer estão assinadas pelo "técnico"…nem consta nome e nº de inscrição na câmara de técnicos de contas, num relatório de 2006 que apresenta documento de 2007, e que…foi aprovado!!!
.
Não falem dos outros em relatórios que devem ser documentos sérios
Falem de vós…porque parece que afinal os "perversos" são os que vestem a pele de uma decência falida.

domingo, fevereiro 03, 2008

Egas e...negas


Nos tempos modernos ninguém põe a corda ao pescoço, podendo enforcar os outros…e já lá vai o tempo do grande Egas Moniz salvar Reino e Rei.
Começo assim esta abordagem à FED CUP e às quase naturais derrotas averbadas na edição que agora termina, e que catapultaram Portugal para a descida de divisão e que segundo parece com «negas»

De quem é a culpa?
Não é do ex-capitão-Dtn, dirão muitos daqueles que querem perpetuar a corrupto/cumplicidade que grassa no país.
Do Cordeiro? Só se foi por ter assumido o cargo sem impor condições «aprioristicamente», ou por não ter jogado o singular com a Maria João…
.
O Jogo
Na notícia do jornal fica-se com a sensação que o seleccionador quis dizer que selecção ia desfalcada!
Porque não levaram a "Ni" que até tem brilhado nos Europeus
Será que faltavam as ex atletas do Centro Nacional? (Cristina Correia, Ângela Cardoso ou a Sofia Prazeres) só para referir algumas.
Ou estaria o seleccionador a referir-se à Michelle Brito e à Frederica Piedade?
O rosto da modalidade é a Federação e perante o que sucedeu e tem sucedido nestes últimos 3 anos o que esperavam os mais optimistas?
1- Que a Michelle tivesse sido contactada para tirar lugar à Maglie quando esta era atleta do sr. Lucas?
2- Que tivessem dado (1 wc) à Piedade para os Master e impedisse a atleta do ex-dtn "Silva", de ganhar os Master?
.
Francamente!...
Joguemos ao berlinde enquanto tivermos berlindes porque com certos senhores na Federação e nas Associações, temos de deixar de parte certas veleidades, e meter a mão na consciência, porque esta modalidade está de rastos…
Alguma vez as associação questionaram a FPT em A.G sobre as derrotas das selecções e os maus resultados que temos averbado, ou questionado/exigido o parecer da federação no caso dos "sopapos" nos Juniores?
Exigiram uma resposta sobre notícias verdadeiras que têm vindo nos jornais de casos que se têm passado no mundo do ténis federativo?
Algum presidente de associação questionou porque razão se escolhe "este ou aquele" para "certo" lugar?
Algum residente associativo perguntou se era necessário baixar os subsídios às associações para dar mais condições às selecções?
.
Cordeiro vai fazer um relatório?
Para ser igual a tantos outros que têm sido feitos e que devem ter ido parar ao canal "esgotoniano" do rio Jamor? Vai dizer que a nº 1 devia ter uma postura "nogyana", ou que não se esforçou o mínimo? Não percebeu que depois de o treinador dela ter ido entreter russas, ela ia passear a foto na Fed (ou no álbum do señor Figueiredo)
.
Porque não trocaram a «vedeta» pela Ferreira?
O resultado prático era o mesmo, mas sempre se podia contar com a Catarina a dar tudo, atleta que há mais de 1 década sofre nos campos de ténis sacrificando-se por um modalidade em que a Federação pouco ou nada lhe tem dado…
.
Apetece dizer que santos da costa não fazem milagre

sexta-feira, fevereiro 01, 2008

Paciência


...é o que preciso para voltar a ouvir a velha treta da comparação, debatida nos últimos 20 anos entre o ténis espanhol e o português
Será que depois mais de 2 décadas, (estou há 30 no ténis em Portugal), ainda haja quem não tenha compreendido que na Península Ibérica existem 2 países e muitos povos?
.
Porque condicionamos o nosso ténis a comparações absurdas, dos que não tem a noção que um País é aquilo que são as suas gentes, os seus governantes a sua própria capacidade de competir no mundo?
.
Portugal é 4 vezes mais pequeno que a Espanha.
Temos 1/4 da população ou menos
O rendimento «per capita» é substancialmente inferior
A cultura do ténis é ínfima em termos comparativos
Há 10 anos eles tinham 100.000 filiados a competir
Nós temos hoje 16 mil e dos quais 20% está por explicar…
Há 25 anos eles tinham em Badajoz um PM de 100.000 pesetas!
A FPT em 2007 não pagou a bolsa a todos os jogadores com direito a ela.
A 200 WTA ou 150 ATP em Espanha não têm direito a foto em Jornal Nacional
O Castelhano é língua oficial da ITF

Comparemo-nos com a Galiza, a Estremadura etc, mas «oder!!!», deixemo-nos de tretas em nos compararmos à Espanha; eles sofreram uma guerra civil, nós colocámos Cravos nos canos das espingardas.
.
Em Portugal temos portugueses; Espanha tem espanhóis.
.
Nem vale a pena falar muito mais sobre isto bastando para tal pensar que é impensável a Espanha ter o nosso responsável pelo Departamento de Formação a dar formação, muito menos a dirigir aquele que devia ser o mais importante departamento federativo; nada tenho contra o homem, mas em Espanha nem no
Nível 0 passava.
Comecem por pensar em português, e vão ver que com estes gestores de ténis a modalidade está condenada. Eles contratam, nomeiam, negoceiam e marcam as directrizes, sacam a guita para viagens turísticas das selecções etc.
Temos o ténis que merecemos?
.
E porque falamos de diferenças e preocupações…
.
Em revisão ao que o senhor Carlos Figueiredo escreveu na última revista da Pró Ténis sobre a actual nº 1 portuguesa, apenas estas anotações:
Concordo quando diz que é a nº 1 portuguesa
Concordo quando certamente "quis dizer" que por infortúnio deixou de utilizar esquerda a "2 mãos"
O resto que respeita a aspectos técnicos ou do desenvolvimento Psico/motor ou o "qqqs", que deixe para os técnicos com formação credível.
.
Ao Senhor Secretário-Geral/D.T. Nacional, gostaria que se perguntasse, de preferência quem dá a guita, se vai permitir que se gaste o money no Europeu Feminino sub 18, depois do que aconteceu com a nossa FED no jogo contra a Holanda?
Elas, as Holandesas, são JUNIORES…???!!!
.

 
Web Analytics