quarta-feira, outubro 31, 2012

domingo, outubro 28, 2012

Avé...Maria


POR ERROS MEUS

Vá-se o fogo deste amor ardente
q outra chama se vê já pungente
queima como lume brando
ou labareda crescida, crepitando

Rebelde, mas dele tenho medo
sentir que guardava em segredo
por querer que se não vá a candeia
e breve ilumine a mesma ceia

Rápido seja e rejeite agora o vício,
querer tudo q o coração ache
e razão dê ao machado, e o rache

Se entendido der desperdício
e deste amor seja imerecido
na terra errante, pague o castigo

Cito Loio
28/10/2012

sábado, outubro 27, 2012

Último poema que te escrevo

Dedicado a “Lei” Manuel do Nascimento Oliveira, regressado de Angola corria o ano de 1982, um retornado que não foi incluído nas estatísticas de 75.

A 27 de Outubro de 1953 Manuel era um homem feliz; estava marcado para o dia seguinte o nascimento do seu 1º filho.
A 1 de Novembro morria a sua mulher, mãe do seu único filho, vitimada perla incúria racista de uma maternidade branca.

O que o amor unira, os homens separavam. 4 décadas depois, a natureza voltava a unir. 

Nascidos em terras diferentes, foram a enterrar em terras distintas. Ela em São Paulo da Assunção de Luanda, ele em Leça da Palmeira/Matosinhos, uma terra que não chegou a conhecer.


DESTINO DUM RETORNADO


Ficou sim, agarrado ao sonho e andando
Guardou em África por entre sombras
Lembranças curtas da sua amada,
Doce silhueta leve e apetecível
Pedaço da vida, restos de mel açucarado

E viu-se pela guerra enclausurado
Presa de arena mantida pose inconfundível
Como nau de uma extinta armada,
Sob fogo, e por cima de revoltas ondas
Sobreviveu; _ já pouco navegando!

Solitário velho escanzelado e doente
Regressou sem data de registo
Ao velho continente que o vira partir

Sem gemidos, cerrado punho e dente,
Envergou um fato barato de negro tecido
E decidiu morrer. - Fê-lo a sorrir!

Cito Loio

sexta-feira, outubro 26, 2012

No Porto, quase acabava morto...!



QUASE MORTO

 Hoje senti-me cansado deveras,
ao espelho mirada caveira.
- Que dolorosas são as esperas
longa senda, e entre nós a fronteira

De Dalatande voei à Covilhã
Chivinguiro, rolei pela Lourinhã
Benguela espreitei o Ribatejo
e que largo o estuário do Tejo!
- Do Ambriz espreitei Estremoz
Lobito nadei até à Figueira da Foz
tantas visitadas.- No Porto!
_ vão 30 anos, quase acabo morto

Hoje senti-me cansado deveras,
por rodeado de gente sem escrúpulos
mais temíveis q africanas feras
escarnecendo até dos apupos.

(- Hoje, cansado, revivi folias de putos)


Cito Loio

quinta-feira, outubro 25, 2012

Não dá uma pa caixa...!


Senhor Victor Gaspar...

Lutámos por edificar Portugal, demos novos mundos aos europeus, criámos uma raça nova, fizemos Guerra no Ultramar para que o "nosso" mundo não caísse nas mãos dos vendilhões do templo. As nossas Mulheres/Maridos /Pais/Avós/Antepassados construíram este País esta Pátria esta Nação.

E você?
O que fez por ele (para além de gastar o nosso dinheiro com uma educação cara?).

Não lhe deve ter servido de muito porque já se enganou mais em 9 meses, que a Virgem em relação ao nascimento de Cristo (não sei se me entende mas como teve o formação cara deve (pela certa e por cautela) aprendido coisas sobre a Portugalidade, tais como D Afonso I ter sido o 1º Rei de Portugal, D Manuel II o último, e que os tipos com perfil semelhante ao seu já no século XIX andavam a conjecturar a derrocada da pátria-mãe ( não sei se aprendeu "douradamente" a razão de não se usar o termo Pátria-Pai...!)

Caríssimo e douto senhor; sabemos exactamente o que é o Estado, só que não o roubamos, não o privatizamos, não o vendemos aos Mercados, e exigimos dele apenas o que achamos que pode dar...e pode se não for diariamente assaltado pelos senhores que afinal tiraram cursos caros.

Podia escrever um livro sobre "educação cara pois fui um dos privilegiados já 1958 ...e como andei a gastar dinheiro ao meu pai (não serviu de nada porque naquele tempo não havia Universidades Particulares) lá tive de alombar com os costados na tropa enquanto o senhor andava a fazer contas em como, um dia que viesse a ser Ministro das Finanças retribuía ao Estado o dinheiro (o muito que este gastou com a sua educação). Afinal serviu de pouco...dado que V Senhoria não acerta uma...


Senhor Victor Gaspar... Lutámos por edificar Portugal, demos novos mundos aos europeus, criámos uma raça nova, fizemos Guerra no Ultramar para que o "nosso" mundo não caísse nas mãos dos vendilhões do templo. As nossas Mulheres/Maridos /Pais/Avós/Antepassados construíram este País esta Pátria esta Nação.

E você! o que fez por ele para além de gastar o nosso dinheiro com uma educação cara?
Não lhe deve ter servido de muito porque já se enganou mais em 9 meses, que a Virgem em relação ao nascimento de Cristo (não sei se me entende mas como teve o formação cara deve (pela certa e por cautela) aprendido coisas sobre a Portugalidade, tais como D Afonso I ter sido o 1º Rei de Portugal, D Manuel II o último, e que os tipos com perfil semelhante ao seu já no século XIX andavam a conjecturar a derrocada da pátria-mãe ( não sei se aprendeu "douradamente" a razão de não se usar o termo Pátria-Pai...!)

Caríssimo e douto senhor; sabemos exactamente o que é o Estado, só que não o roubamos, não o privatizamos, não o vendemos aos Mercados, e exigimos dele apenas o que achamos que pode dar...e pode se não for diariamente assaltado pelos senhores que afinal tiraram cursos caros.

Podia escrever um livro sobre "educação cara pois fui um dos privilegiados já 1958 ...e como andei a gastar dinheiro ao meu pai (não serviu de nada porque naquele tempo não havia Universidades Particulares) lá tive de alombar com os costados na tropa enquanto o senhor andava a fazer contas em como, um dia que viesse a ser Ministro das Finanças retribuía ao Estado o dinheiro (o muito que este gastou com a sua educação)

Afinal serviu de pouco...dado que V Senhoria não acerta uma...


terça-feira, outubro 23, 2012

sou filho único...!


Quem nunca conheceu a pobreza
Não valoriza a abundância


QUERO UM PRATO DE AJUDAS

Hoje rodou um filme pela minha mente
e vi jogar no parlamento, bombas;
_ não tinham intuito de matar gente
decorria a acção na calada das sombras

Simultâneo gritos, de crianças famintas,
pais procurando no suicídio…
remédio santo para a encapotada vergonha
de se verem na sociedade mendigos.
- Desfilaram ainda rostos de velhos amigos
dos que decretam, formados em ronha,
papo cheio, reformas, garante vitalício
fingindo não s’ estarem (pró povo) nas tintas

Hoje rodou um filme pela minha mente
Nele, também vi, típico desfile de prostitutas
e um pobre, ali, à minha frente
com frio, prato vazio. Nunca tivera ajudas!

(- Hoje soube, porque perdoou Cristo a Judas!)

Cito Loio


segunda-feira, outubro 22, 2012

Brilhante afirmação...!



Brilhante afirmação: «Os portugueses têm os governantes que merecem»




domingo, outubro 21, 2012

Se perde sur sa bouche

Este poema é uma homenagem ao grande António Manuel Pina; todas as manhãs, a 1ª coisa que lia era o seu comentário no JN. Vou ter saudades… ou melhor já tenho.



Não sei se o (poema) é bom mas a (foto) é do melhor 


Un rire qui se perde sur sa bouche



quinta-feira, outubro 18, 2012

Cansa...!

Adicionar legenda
Cansa a política



A vigarice intelectual que tem cobertura dos média, a falta de dignidade que se observa na maioria dos políticos e o desprezo que manifestam pela inteligência dos outros.

Há muito que este país entrou na fossa, não tanto pela incapacidade de auto-gerar recursos mas porque "os pequenotes" gostam de brinquedos novos e viram no Povo português ‘renovada marioneta’, divertindo-se há 38 anos.

Portugal não deve nada a ninguém. Os governos, (que sempre cobraram im
postos na medida das necessidades para cobrir o sector público), propositadamente engendraram uma máquina de despesismo para Roubar o país, (cenário que não quero admitir), foram criminalmente incompetentes.

Mas perguntem o que faria se estivesse no lugar de um deputado ou ministro (para dar exemplo aos portugueses da idoneidade honestidade e solidariedade)

Simples:
Considerando que auferia (a exemplo) 3.500 euros, mensais…

1 000 euros para ajuda do pagamento da dívida externa
1 000 euros destinavam-se ao combate à pobreza

OK dirão: é parvo!
Sou, mas a verdade é que pelas minhas contas 1500 euros chegavam para viver com dignidade, cumprir as obrigações inerentes ao cargo ajudando a economia interna

Louco (!) deve estar louco...dirão!

Talvez, mas gosto…

- Andar a pé pelas ruas da cidade, sem capangas a defender-me
- Não ter de me desviar dos pobres a dormir nas ruas e ir por saber que já não havia crianças com fome 
- Dormir com as janelas abertas sem necessitar de rezar o Pai Nosso que estás no céu, porque o pai, eu, estava na terra e os meus filhos dar-me-iam um beijo de boas noites tal como os filhos de todos os outros.
-No verão, se o tempo permitir frequentar uma praia comum, sem reserva, mergulhando nas águas do “meu” país, e não passar férias escoltado.
- Pagar do meu bolso bilhete de comboio ou passagem de avião/ barco sempre que ela fosse de carácter privado.
- Comer num bar de 3 ª categoria, se me deixassem entrar!
- Ninguém me acusar de crimes contra a humanidade, roubos ao estado, ou viagens em submergíveis.- etc…

Claro que dirão: falas assim porque não estás lá!

De acordo; (e nasci num berço de Prata que o Ouro era mandado para a Metrópole governo antigo regime)… não estou lá, mas estou aqui, a dizer exactamente o que faria, por ter como princípio de vida…ser HONESTO.




quarta-feira, outubro 17, 2012

Canja,,,,,

GOVERNAR NÃO É CANJA

Que não arda em lume brando!
_ claro, Mr Rabbit, e ninguém quer
mas vá com Deus, vá andando
e poupe à vergonha filhos e mulher


Sempre se soube dos reais motivos
que o conduziram às eleições.
- Vaidade infinda, pressões d’amigos
época d’ hispânicas desintoxicações

Foi engano seu julgar ser canja
governar c’ voz barítono, aos coices
coro de Doces, toques de franja

Ignorava ainda muitas das surpresas
que d’ afiadas ferem como foices
mais que falência de certas empresas

(- Vá pa não dar ao país mais pobreza,
a mim, a dor de ter do futuro certeza…!)

Cito Loio
17/10/2010

...nem Roque Santeiro....


...nem Roque Santeiro....



Dr Ribeiro e Castro diz:

«Um processo orçamental não é o mercado de Marraquexe, isto não é o bazar de Marraquexe, em que toda a gente negoceia com toda a gente sem saber bem onde está cada um.  Com certeza que há posições, há sugestões, mas as posições políticas fundamentais têm que ser definidas e afirmadas com absoluta clareza. O CDS não é um partido da oposição» 



 * Claro que não é de Oposição, e espero que não seja de Submissão...ilustre senhor!

.

segunda-feira, outubro 15, 2012

Clio que sim…


Clio que sim…

Quanto à afirmação do senhor Assis, sobre o andar de Clio, evidente que não é minha intenção criticá-lo por andar de Mercedes, BMW ou qualquer carro topo de gama.
Torna-se claro que há que manter a dignidade parlamentar e se os outros andam nestes tipos de veículos o líder parlamentar do PS tem o mesmo direito, ou pelo menos o direito de se servir da oportunidade que se lhe depara.
 Mas, se fosse (EU) no seu lugar, não faria tal afirmação até por respeito às pessoas que, vendo o seu dinheiro ir parar aos bolsos dos políticos andam de Uno/Clio/ou num “carocha” antigo, razão pela qual responderia desta maneira à questão.

- Meus senhores, andarei de Bus, Eléctrico Metro, ou até de “bicla” se preciso for, para endireitar as finanças deste país, desde que isso não obrigue a despedir o ‘chofer’ e aumentar a lista de desempregados na SS. Andaria a pé pelas ruas e sem guarda (), porque ao Povo não daria razões para insultos ou ameaças verbais ou físicas; _ jamais o roubaria, maltrataria, ameaçaria, trairia.

Talvez por isso nunca serei eleito para o cargo, mas se o fosse jamais colocaria o dinheiro dos portugueses em paraísos fiscais. Assim sendo morrerei exactamente com o mesmo dinheiro que tinha quando vim ao mundo,” 0$00”, dado que nasci nu.


quinta-feira, outubro 11, 2012

Bagão Félix...!

Parabéns, grande intervenção.
Escutei atentamente (hoje) Bagão Félix  e concluí que Portugal não precisa de Partidos, precisa é de Homens Inteiros
Obrigado por ter tido a coragem de dizer que os Governantes têm de ter Coração



Finalmente conseguimos...!


Vão 143 anos

http://oficinadahistoriad.blogspot.pt/2008/12/abolio-da-escravatura-em-portugal.html

Dando um salto histórico, li esta frase precisamente hoje “10/10/2012: «Os primeiros 20 anos do Estado Novo foram francamente positivos, a partir daí tudo passou a ser discutível...»

Ah! Fiquei de boca aberta quando vi a ponte Salazar…”pensava que era de madeira”; perdoem a ignorância.

Retomando o assunto, concordo em absoluto. Depois daí, temos que equacionar Portugal no contexto de guerras nas províncias ultramarinas (cobiçadas por uma Europa a dar facadas nas costas do portugueses) e a impossibilidade de esvaziar a Pátria com emigração em massa para o ultramar. 

Governar assim era obra, tanto mais que dentro do país havia gente que beneficiando de boas posições sócio económicas e querendo o poder "custasse o que custasse", aliava-se incluso aos inimigos, como hoje, algo que já não espanta.

Mas quem sou para analisar o que outros melhor sabem e têm entendimento sobre a matéria comparado comigo c' apenas 59 de idade e 40 de desilusão e ainda por cima só conheci a Metrópole em 1973, uma metrópole com Ferraris, Vivendas lindas, Centros Comercias, Metro, Clubes de futebol Gloriosos, Ocenário Vasco da Gama, Jardins Coimbrãs, Foz do Douro, TAP, companhia de navegação Nacional e Colonial (noutro tempo a Congeral), Sede de Bancos, Escudo (eu tinha só angolares que nada valiam na pátria dos desgraçadinhos) Fábrica do Braço de Prata, Cuf, Lisnave, grandes Hospitais, estradas impec, pubs dancing´s boîtes cabarés jajaja cacilheiros (eu tinha o Capsoca tactactac) enfim a par de muita miséria, tal como os meus irmãos das matas que carretavam a água à cabeça, "liam" à luz da fogueira, antes de engrossarem as hostes das FA...com direito a comida roupa calçado e algum (pouco é certo) dinheiro.

Depois por cá nem beneficiavam da exportação de Uva e Azeite Pêssego e outras coisadas, Leite em Pó da Nestlé, para terras distantes pois era proibido plantar certas coisas nas "colónias"

Juntava-se a toda a desgraça a reserva acumulada de ouro, para além de retenção do $$$ proveniente da venda do petróleo de Cabinda, diamantes, minério a dar c' um pau, a maior costa piscatória da europa/portugal insular e outros, Lisnave…

Claro que ainda se tem de somar um exército que estava tão farto da “guerra” que metia o “xico” para fazer várias comissões arriscando levar um balázio no rabo, facilitismo dado que o buraco já estava feiro …e anexando a este pensamento XYV % dum exército composto por negros mulatos e outros de cor indefinida mas apelidados de fdp racistas colonialistas (c’ 20 anos) fascistas e outros ilustres termos que aqui não cabem.

Enfim, o tempo de Salazar foi um atraso de vida, uma ditadura de miséria sem liberdade para falar mal contra o regime.

Hoje somos um povo rico, que só deve aos Mercados, vende o quintal aos vigaristas que fabricam dinheiro sem correspondente material, blá blá blá. E por mais evoluídos temos o serviço nacional de saúde em colapso (vindo do anterior regime), pois há que o substituir pelo Privado, dado que só quem tiver money terá direito a medicamentos em caso de epidemia, e de preferência comprados na Alemanha ao dobro do preço que as nossas farmacêuticas venderiam…!

½ século depois, naturalmente, somos muito mais evoluídos que os nossos pais, avós padrastos e madrastas…e temos, casamentos gays, metrosexuais (não sei se é assim que se escreve) jogadores de futebol depilados, casa dos segredos e putas em directo nos ecrãs televisivos

Indubitavelmente hoje somos mais qualificados mas temos que meter o canudo num saco de viagem e ir pregar para outra freguesia


Recuperámos a democracia (Grega) a par de gente em barda a passar fominha de cão vadio

Finalmente hoje, somos europeus porque antes éramos só os Parolos Portugueses, emigrantes de Mala de Cartão

Mas hoje votamos em liberdade e damos liberdade a quem nos elege para mandar a polícia carregar sobre quem, por ter já fome, se manifesta.

Hoje finalmente encontrámos o CAMINHO DA ESCRAVATURA…!

quarta-feira, outubro 10, 2012

...que restar de Portugal


DE TROÇA EM TROÇA

Assisto
 em reprise a pantominices
golpes baixos dentro do Parlamento
palco já de esmerada sacanice,
e de um paupérrimo (!) casamento

«E o Zé povinho a pagar
bolsos rotos a esvaziar
e eles (em farras) a brincar
c’ a carteira a abarrotar»

Logo aparece uma nova sobretaxa
ou impostos retidos na gaveta
por um ministro cheio de ‘laracha’
com carantonha de proxeneta
.
«E o probo Zé definhando
velhos já agonizando
_ medicamentos voando
‘europicamente’, a mando!»

Assim (e eleitos!) vão governando
até auferirem a Reforma final;
_ e de troça em troça, troçando
enterrarão ‘que restar de Portugal

Cito Loio








.

http://sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.aspx?content_id=60693



Afinal que se passou!




Escutei mais uma vez um sujeito (que já me mete nojo, não pela sua ignorância ou subserviência aos criminosos da Europa Troikeana) mas pela forma acintosa com que insulta a inteligência dos portugueses anunciando brutais Impostos que deixa povo exactamente na estação de Bacău, para de imediato dizer com um ar de carrasco de Robespierre que vai ver se “minimiza tal” pelo lado da despesa.

Porque coloca primeiro em stress as pessoas?
Porque quer que as pessoas saiam para a rua?

Será que quer lançar a polícia contra os cidadãos!
Será que quer reduzir os custos através de chacina popular!

Evidente que não começou por quem e pelo que devia, mas cumprindo ordens externas. Torna-se hoje evidente que o senhor atenta contra a independência nacional, levando deliberadamente a que se forme uma sociedade pobre e manipulável, representação viva dum povo que perdeu a independência.

E que faz o Exército? 

- Tem medo que não venha dinheiro do FMI ou do BCE?
- Que não tenham, pois neles não há coragem para o fazer….

Já agora, e por pura curiosidade, diga lá senhor Cavaco e Silva o que resultou da famosa reunião com Chefias Militares, e não se esqueça que não é o presidente dos Partidos nem do Governo mas de todos (!) os portugueses, sendo sua obrigação chamar o Povo para causas de defesa da patriótica.
Se não tem coragem, está doente, ou prisioneiro, abandone o cargo porque já fede

Inácio

terça-feira, outubro 09, 2012

Já pouco resta...!


Até sempre, Schi

Com este poema me despeço, e se Deus existir, peçam que me perdoe por tão grande mágoa e dor, e esta revolta que há tanto tempo dura.




O QUE DE MIM RESTAR

Não te esqueças do amor ardente
que durará puro e eternamente
- E se vires que te não te mereci
não morra para padecer longe de ti

Ah! Camões grande, como te invejo
e quão triste sou quando me vejo!
- Como Bocage estou também sofrido,
seguro q todo o mal foi consentido

Dêem-me rios de louca torutura
tempestades de granizo acinzentado,
raios que meus olhos ceguem.

Mas se' ânsia me tirar da fartura,
que sobrevivam ao já corpo esfriado,
devaneios que ainda restem.

Cito Loio
(Poemas a Maria/ homenageando Camões)

segunda-feira, outubro 08, 2012

domingo, outubro 07, 2012

O que as iras me ensinaram .!

Tudo passei mas tenho tão presente...a cor dos rios onde me banhei ainda criança. Guardo a dor da terra manchada de rubro sangue por traição de quem não era suspeito ser traidor.

Ó mãe que pariste Cristo, porque fizeste de mim seu irmão!




AÇOITADO PELA CONFIANÇA
(Poemas a Maria/homenageando Camões)

Maior foste tu, q’o próprio Mundo
e por erros teus ficaste sem fortuna,
escondido peito às balas, e no fundo
inquietado, dono de má fartura!

Servida a terra com sangue e dor
deste as costas a que tristeza servisse
de bálsamo, por castigo de um amor
morto, sem que alguém o visse

Coberto pelo recôndito da solidão
denegaste a felicidade, e a esperança
deposta em gestos sem repudiação.

Açoitando a vida à falta de confiança
permitiste-te viver em servidão
atirando iras à vontade de vingança.

Cito Loio

sábado, outubro 06, 2012

Um discurso Presidencial...!



Escutei atentamente discursar o senhor Alexandre Soares Santos (5/10/2012 na FFMS) e fiquei com a clara e estranha sensação que se «enganou» no sítio onde proferiu o discurso, pelo conteúdo, mensagem, qualidade literária, postura de estado, respeito pelo povo português
Deveria fazê-lo no decurso das comemorações do 5 de Outubro no lugar do presidente da república dado ter sido uma clara lição de governabilidade, (assim o interpretei) e «SÓ TER O DINHEIRO LÁ FORA POR FALTA DE CONFIANÇA NAS ELITES GOVERNATIVAS CÁ DE DENTRO»
 .
Concordo deste modo que prefira tê-lo a salvo da “gatunagem” que com “pantominice” roubam sem pudor o próprio patronato que tem obrigações de pagar os ordenados aos seus trabalhadores, mas espero que utilize o seu poder financeiro para dizer às elites: -….
.
BASTA, o povo tem capacidades para erguer Portugal dos escombros em que os senhores o mergulharam que às elites exige-se a obrigação de conduzir o povo para que se não perca a independência legítima de uma Pátria que se fez grande à custa de rios de sangue derramado, e que os senhores sem vergonha vem paulatinamente entregando aos mostrengos dos tempos modernos. Não basta falarem em dívida, bancarrota, atirar a culpa para quem a tem por ter confiado nos seus eleitos, é necessário, e definitivamente provar que são dignos de serem inscritos na história de Portugal pelas boas e más razões e não só pelas últimas
.
- Soares Santos sabe, tal como eu próprio tenho disso convicção, que o futuro não existe enquanto “concreto” não passando de mera perspectiva do presente projectada num intervalo de tempo ainda não acontecido, razão porque só o presente dominamos, mas passa-se o tempo a falar do futuro, do que legaremos aos nossos filhos, esquecendo (propositadamente) que só se legará para amanhã o que tivermos hoje.
 .
Os políticos também sabem que o presente é o mais importante pois é nele que vivem, mas pretendem vivê-lo de forma endeusada, nem que para tal tenham de escravizar, ou assassinar sonhos dos que apenas pretendem viver com dignidade no breve espaço de tempo em que por cá andarem.
 .
Parabéns senhor Soares Santos, e independente de tudo o resto, gostei de o ouvir.



De qualquer modo...!

Senhor Primeiro Ministro, não sei se conhece.

_ De qualquer modo saiba que nunca é tarde para se fazer 


ao mar...!

sexta-feira, outubro 05, 2012

Amigos da onça...!

...
2 primeiros ministros não compareceram à tal reunião de amigos senhor Pedro Passos Coelho!
E o senhor (Primeiro Ministro)...falta às comemorações do 5 de Outubro para se encontrar com...
 "os amigos da onça" ?

quinta-feira, outubro 04, 2012

Nem a macaca...




Não acredito, ou melhor, nego-me a acreditar no que acabo de ouvir.

Esta senhora foi eleita deputada?

Esta senhora tem o descaramento de dizer que quem lhe paga é a Troika?


Legitima-me dizer que a senhora é cumplice dum grupo de gatunos que assalta Portugal e outrps países emprestando dinheiro falso fabricado no BCE ou simplesmente virtual interplanetário através de transferências de contas que são sustentadas por valores inexistentes para que os países depois lhes paguem com vassalagem, tudo com o beneplácito dos "elitos pelo povo", independente do enquadramento político.

Será que o exército (responsável pelo estado actual da pátria portuguesa) ainda está a esta hora acantonado nos palacetes militares!

Será que o IRS não atingirá a classe "bélica"?

Será que vai haver aumento para os quadros superiores das FA?

Será que os deputados, a quem ainda lhes resta dignidade, não tiveram coragem de se levantarem, e abandonarem o hemiciclo?

Surpresa!!!... Nem a macaca teve com o filho...








.

quarta-feira, outubro 03, 2012

Porque não te calas!


Ou será porque…quase tinha que o estado entrar no BCP..

Escutei o presidente do Millennium falar do alto da sua cátedra dizendo que o Estado não precisa de ter um Banco…referindo-se à privatização (possível) da CGD

Claro que não pois tem a Caixa, uma instituição do Estado que não é um banco dado que estes são instituições criadas/fundadas por “banqueiros” e esta é a minha opinião, visão clara do que distingue as instituições sendo até que as ‘privadas’ podem ter o estatuto de utilidade pública mas não o são de todo.

Com esta introdução começo por dizer que estou contra o facto de os vencimentos dos “empregados do estado” receberem por instituições que não sejam a CGD.

Der seguida nem me passa pela cabeça que os IMPOSTOS dos Portugueses sejam depositados num banco, para que aconteça algo como o parecido ao BPN, ou imaginar sequer, (nem é bom confirmar), que um dia os MILITARES possam receber através dum banco Nazi (!)

Termino porque me dói a “pena” mas não sem antes dizer ao senhor presidente do BCP, acaso (eu) mandasse em Portugal nacionalizava todos os bancos que não conseguissem explicar a proveniência do dinheiro que esteve na origem da sua constituição e…se alguém abrisse a boca ia de cana.

Ditador, Tirano, Salazarista, Marcelista…seja, se essa for a vossa opinião, mas não me venha o senhor “Nuno Amado” falar em Gestão/Economia ou qualquer outra coisa parecida, pois sei (e sabemos muitos) como a maior parte dos licenciados entraram nas faculdades e passaram de ano…ou quer que lhe recorde as passagens administrativas pós 25 de Abril

Já agora e em relação a outras afirmações como as que tem proferido…Por qué no te callas…


 
Web Analytics